Lar, onde meu pai está

Eu li O Estrangeiro pela primeira vez aos 18 anos. Minha mãe não tinha morrido ainda, meu pai ainda não tinha Alzheimer, e eu não tinha experiência de vida pra apreciar uma obra daquelas. Pra ser sincera eu continuo não gostando muito, mas foi marcante ter relido esse livro ano passado. E não só porque foi o primeiro livro de gente grande que eu li…

Ler mais

Quando ajudar dói sim

Aconteceu quando eu estava na segunda ou terceira série do ensino fundamental, não me lembro direito. Eu estudava num colégio chamado Jardim Chapeuzinho Vermelho, e que era muito católico, apesar do nome infantil genérico. Todos os dias fazíamos fila pra rezar e cantar a música de boas vindas da escola, cada turma na sua própria…

Ler mais

Sobre a minha mãe, que morreu há 10 anos

Minha mãe morreu há exatos dez anos, num dia como esse, em que as pessoas estão ocupadas demais com as próprias esperanças e soltam fogos na TV. Você pode me dizer que o timing da publicação desse texto é péssimo, e é mesmo, mas eu quis reproduzir a sensação daquele 31 de dezembro de 2006.…

Ler mais

Como fazer amigos depois dos 30? (Sério, eu não sei)

Eu tenho problemas de família reduzida. Todos os meus avós já morreram, assim como a minha mãe e parte dos meus tios. E agora que meu pai tem Alzheimer, e só pode contar comigo sem que eu possa contar com ele, a coisa ficou pior ainda.

Ler mais

Ah, a vida é: (x) uma merda (x) uma festa

Eu acho que a vida é uma merda. Não só a minha, mas o próprio conceito mais amplo de vida. Acho que a gente tá aqui pra sofrer e sofrer, e duvidar, e ter crises, e angústia, e tomar várias decisões erradas que podem só parecer bem erradas muito tempo depois. Acho que esse negócio…

Ler mais

Minha curta carreira de motorista

Como quase toda criança dos anos 90, eu ficava colada na Sessão da Tarde vendo filmes dos anos 80. Eu vi Ferris Bueller desfilar com uma Ferrari pelo centro de Chicago, Les Anderson destruir o Cadillac do avô dirigindo sem ter carteira, e Marty McFly viajar 30 anos pra trás em um DeLorean. Eu sonhava que…

Ler mais

Como realmente ajudar alguém em luto

Eu vou morrer. Você vai morrer. Todos nós vamos morrer, até o Keith Richards. Perder alguém é uma coisa normal e que acontece o tempo todo com qualquer ser humano. Um dia as pessoas queridas ao ser redor não vão estar mais lá, a menos que você morra antes.

Ler mais

Uma história de endometriose (mas com final feliz)

Eu comecei a menstruar com 11 anos, e sempre achei horrível. Na verdade eu não sei qual é a pior parte, se é sangrar por vários dias sem ter como parar, usar absorventes que incomodam, adaptar a sua vida a essa época miserável ou ter que agir como se estivesse fazendo alguma coisa muito errada,…

Ler mais