10 coisas que você não sabia sobre mim (porque eu nem te conheço)

Durou pouco essa alegria aí

Começando o blog novo com seu primeiro post (êeee), mas sem muita ideia do que escrever (ahhh). Então resolvi fazer uma lista com dez fatos aleatórios sobre  mim, alguns ignorados até por gente que me conhece. Hoje eu acordei meio Capricho.

1- Eu tenho uma cicatriz na testa que ganhei aos quatro anos, depois de bater com a cabeça na quina da porta. Levei três pontos, que ficaram bem evidentes graças à pouca destreza de quem me atendeu. Mas essa marca nunca me incomodou, muito pelo contrário, eu adorava sempre ter assunto com qualquer criança que eu encontrasse (o que foi isso aí na sua testa?). Sem falar nas criativas explicações que elas inventavam, indo de exclusão de um terceiro olho a implante de cérebro.

2- Duas das coisas que eu mais tenho medo na vida são manequins e objetos que brilham no escuro. Meu marido tem um cabide fosforescente que sempre escapa do armário e  me mata do coração. Nem quero saber se já inventaram manequins que brilham no escuro. Em bom baianês, “Deus é mais!”

3- No meu aniversário de dez anos, eu ganhei uma prancha de bodyboard que me deixou maravilhada. Mas só por alguns dias, até meu pai perceber o perigo que aquilo representava no mar. Acabei sendo autorizada a usar só nas piscininhas artificiais que se formavam de vez em quando lá em Olivença, uma humilhação.

4-No dia do meu casamento, o bolo  derreteu/se acidentou e não estava em condições de ser colocado na mesa junto com os doces. Eu fiquei em crise por alguns minutos, até noivo, pai e cerimonialista me convencerem a deixar pra lá. Acabei tendo uma segunda comemoração de casamento e essa sim, teve um bolo maravilhoso.

5- Fui meio gótica (literária) dos 12 aos 13 anos. Dos 13 aos 16 fui comunista. E tenho sido feminista desde sempre, com diferentes graus de entusiasmo.

6- Com oito anos eu fui Rainha da Primavera no meu colégio. Mas não era nada que dependesse de beleza não, só de capacidade pra conseguir arrecadar dinheiro. Minha família era imbatível nesse sentido.

7-Entre as três vezes em que eu mais chorei na vida estão certamente a morte do Senna, a morte dos Mamonas Assassinas e a morte do Jack em Titanic. Quando minha mãe morreu, eu sofri quase sem chorar.

8- Odeio, odeio, odeio baralho. A não ser nesses jogos bem bobinhos, tipo “Boa noite, Senhor”. Meu pai, por outro lado, é um entusiasta e já me fez jogar várias vezes obrigada pra poder compor a mesa. Ele é a única pessoa que pode fazer isso sem ganhar a minha inimizade eterna.

9- Nunca consegui deixar totalmente de roer unha. Já tentei de tudo, mas eu só resisto até a primeira unha quebrar sozinha.

10- Minha irmã e eu temos os super poderes da memória, eu pra datas e acontecimentos, ela pra rostos. Vamos ver se a minha resiste aos 30 que já estão quase chegando.

E não é que deu pra encher um post inteiro só com essas curiosidades? Pra quê ler revista de fofoca, minha gente? Acompanhem a minha vida por aqui, que é bem mais legal. Só as fotos pelada que eu vou ficar devendo